ter. set 22nd, 2020

Fernando de Noronha, Brazil

O paraíso existe, fica na Terra e tem nome e sobrenome: Fernando de Noronha. Com areias douradas, mar em tons de azul turquesa e verde esmeralda, corais, vida marinha esplendorosa, mata, formações rochosas… o arquipélago só pode ser uma filial do Éden a 545 quilômetros do Recife.

Acessível por avião ou navio, Noronha não é um destino barato – todos os produtos disponíveis no arquipélago vêm do continente, o que encarece os preços do pãozinho à gasolina. E ainda tem a taxa de permanência e o ingresso para o Parque Marinho, que não são muito em conta. Mesmo assim, não venha para ficar apenas dois dias.fernando-de-noronha-159542

Cada tostão gasto na ilha é muito bem recompensado pelos cenários vislumbrados em cima e embaixo
d´água. Entre eles estão as praias da Baía do Sancho, da Baía dos Porcos e do Leão – listadas entre as dez mais bonitas do Brasil – e os morros dos Dois Irmãos e do Pico, cartões-postais de Noronha.

Praias do Sancho, dos Porcos e do Leão estão entre as dez mais bonitas do Brasil

A ilha é pequena, tem apenas 17 quilômetros quadrados e a menor BR do país – a 363, com seis quilômetros de extensão – o que facilita desbravar o território. Com as praias divididas em mar de dentro e mar de fora, é fácil coordenar a infinidade de atrativos e atividades. Tem caminhada, surf, passeios de barco e de bugue, observação de golfinhos… mas o que não pode ficar de fora do roteiro de jeito nenhum é o mergulho de cilindo, afinal, estamos falando de um dos melhores lugares do mundo para a prática do esporte.

Para quem não encarar a descida nem mesmo em um batismo – mergulho acompanhado por instrutor a 15 metros de profundidade em média –, basta uma máscara e um snorkel para se divertir e se encantar com as belezas escondidas nas piscinas naturais do Atalaia, que vão muito além dos peixinhos e dos corais coloridos – tartarugas, arraias e pequenos tubarões dão o ar da graça e nadam lado a lado com os visitantes. O surfistas também fazem a festa em Noronha. De dezembro a março, as praias da ilha – em especial a da Cacimba do Padre – ganham ondas perfeitas que variam de dois a cinco metros.

Para entender como Noronha, descoberta em 1503, continua tão preservada, é simples.  Até 1982 o lugar funcionou ora como presídio, ora como área militar. Somente nos anos 90 a ilha foi aberta ao turismo, e mesmo assim, com muitas restrições, uma vez que foi transformada em Parque Nacional Marinho e tombada pela Unesco como Patrimônio Mundial Natural. foto-ampliada-842-rn

Para se ter uma idéia do controle, apenas 240 pessoas podem pernoitar no arquipélago ao mesmo tempo. Estes felizardos curtem ainda as animadas palestras na sede do Ibama/Projeto Tamar, seguidas pelo forró do Bar do Cachorro. Para completar, Noronha está sempre com uma hora a mais que Brasília. Na ilha, é sempre horário de verão!